É justo isso?

É justo isso?
Apoie!

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Julio Uçá divulga seu trabalho em rede nacional



Texto: Roseanne Café Peixoto


O cantor e compositor alagoano Julio Uçá, natural de Palmeira dos Índios, participa nesta terça-feira (21), a partir das 21h, do Jornal da Record News, apresentado por Heródoto Barbeiro. A convite do telejornal, Julio interpretará canções como Cabelo de Mola, canção vencedora do FEMUSESC-AL em 2008 e Descolorar, música de sua autoria que recentemente foi selecionada em meio a quase duas mil canções no concurso nacional "Novo Compositor" da cantora Preta Gil, classificando-se em quarto lugar.

Além dos sucessos já conhecidos pelo público de Alagoas e do Nordeste, Julio viajou à São Paulo para finalizar a produção de seu primeiro álbum intitulado Eu não demorei. Uma mistura de MPB e música pop, o CD é mais uma conquista do artista alagoano de infância simples que lutou para ter seu projeto - e sonho de vida - realizado.  Em Maceió, o telespectador pode sintonizar a Record News pelo canal 09 (VHF ou pelo canal 22, da NET).


Sobre o JR News
Ancorado pelo editor-chefe Heródoto Barbeiro e Thalita Oliveira, o telejornal aposta na presença de comentaristas já consagrados em suas áreas e no formato transmídia - envolvendo a tevê e a internet - para atrair audiência e credibilidade, e conta com transmissão direta pelo portal do R7. Com mais de 30 anos de carreira, o jornalista Heródoto Barbeiro é um dos profissionais mais respeitados pela imprensa nacional: além de diversos livros publicados, participou da criação da rádio CBN e foi apresentador de vários programas na TV Cultura, dentre eles o Roda Viva. Informações: http://noticias.r7.com/jornal-da-record-news/


Serviço
Julio Uçá no Jornal da Record News (com Heródoto Barbeiro)
Data: 21 de agosto
Horário: 21h


Sobre Julio Uçá
Júlio Uçá estreou no cenário alagoano com a música "Moreninha", de sua autoria, no Festival de Música do SESC de Alagoas: o FEMUSESC-AL  2003. Desde então participou de vários projetos pelo Nordeste: Projeto Jaraguá Cultura e Negócios (Maceió/2003), Feira da Música (Fortaleza/2006), Projeto Circulação SESC Música Alagoana (Maceió/2008) e o Projeto Misa Acústico (Maceió/2008). Júlio tocou em outras três edições do FEMUSESC-AL e em 2008 venceu o festival com a música "Cabelo de Mola", um de seus maiores sucessos. No mesmo ano, representou o Estado de Alagoas no evento nacional do SESC, o Festival de Música Cidade Canção (FEMUCIC), em Maringá, e passou pelo Sudeste do Brasil com algumas apresentações na capital paulista.

Com influências de Zeca Baleiro, Chico César, Caetano Veloso e Adriana Calcanhoto, Júlio Uçá compõe músicas de MPB contemporâneo (Nova MPB) -  uma das grandes apostas na nova geração de músicos alagoanos. Júlio consegue unir belas melodias da tradicional música popular brasileira a elementos da música pop, sem deixar de lado o bom senso de humor nos palcos. No início de 2012, a canção Descolorar de sua autoria foi selecionada em meio a quase duas mil canções no concurso nacional "Novo Compositor" da cantora Preta Gil, classificando-se em quarto lugar.
 

Informações para a imprensa:
Roseanne Café
+55 11 8620.4444
Agosto/2012

 
Contato para shows:
Luciana Peixoto
+55 82 9311.6400 / 9175.0000

 
Mais informações: www.juliouca.com

Siga no Twitter: @juliouca

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Os 50 anos da Diocese de Palmeira dos Índios

A Diocese de Palmeira dos Índios está em festa: há quase 5 décadas, a mesma era canonicamente instalada e tomava posse o seu primeiro bispo, Dom Otávio Barbosa Aguiar (1913-2004).

A terceira Diocese (cronologicamente) a ser criada em Alagoas, desmembrada das circunscrições eclesiásticas de Penedo e Maceió, foi erigida no dia 10 de fevereiro de 1962, pelo Papa João XXIII, através da Bula "Quam Supremam", com o fim de dar "aos povos cristãos a oportunidade de conservar cuidadosamente a religião e de ajustar o modo de vida aos preceitos do Sagrado Evangelho".

Dom Otávio, paraibano de Orobó e então bispo de Campina Grande, foi eleito no dia 4 de julho daquele mesmo ano e, no dia 19 de agosto seguinte, foi empossado na presença do então Núncio Apostólico, Dom Armando Lombardi, espécie de embaixador do Vaticano no Brasil, além de diversas autoridades alagoanas e palmeirenses, como demonstram as quase cinquentenárias imagens que ilustram esta matéria, e que pertencem ao arquivo da Paróquia de Nossa Senhora do Amparo, sob os cuidados do pároco Monsenhor Odilon Amador dos Santos, que participou daquele evento histórico.

A elevação de Palmeira dos Índios a Sé Episcopal era um sonho do Monsenhor Francisco Xavier de Macedo (1881-1963), 21.º pároco da cidade, que promoveu, entre 1924 e 1941, a remodelagem da velha Matriz (a mesma onde, na sacristia, Graciliano Ramos escreveu 19 capítulos de "São Bernardo"), para que, pela sua beleza, grandeza e imponência, merecesse o título de Catedral. Por pedido do velho padre Macedo, o escritor Luiz B. Torres (1924-1992) elaborou o projeto da Diocese, que foi enviado a Roma e aprovado pelo Papa.

Em 1978, Dom Otávio renunciou, entregando o pastoreio a Dom Epaminondas José de Araújo (1922-2010), que permaneceu até 1985, sendo substituído por Dom Fernando Iório Rodrigues (1929-2008). Desde 9 de setembro de 2006, a Diocese tem por bispo Dom Dulcênio Fontes de Matos.
Para celebrar seu Jubileu Áureo, uma série de atividades estará acontecendo até domingo (19), conforme a programação, acessível pelo link: http://diocesedepalmeiradosindios.blogspot.com.br/2012/07/convite-jubileu-aureo-diocesano.html.