É justo isso?

É justo isso?
Apoie!

quinta-feira, 11 de julho de 2013

As estampas do imperialismo

O mercado Croix-des-Bossales era o antigo ponto de venda de escravos em Porto Príncipe, capital haitiana. Hoje, o mesmo mercado não mais comercia seres humanos trazidos apulsos da África, mas recebe os contêineres carregados de roupas de segunda mão oriundas dos Estados Unidos. Essas roupas são chamadas de "Pepe", sendo cada vez mais difícil encontrar um haitiano que não as use.

 

O que mais chama a atenção nesse processo é que ele ironicamente revela o funcionamento da globalização da indústria têxtil: uma camiseta produzida para a Walmart nas fábricas de Porto Príncipe será ostentada por um texano que a doará para uma instituição de caridade, que, por sua vez, a fará voltar ao remetente, que, finalmente, poderá usá-la. "A maioria dos 'Pepe' que chegam à ilha foram doados pelos americanos para instituições de caridade e centros de recolha, rejeitado por Brechós, e passaram por os armazéns de classificação dirigida por haitianos em Miami que descartam as roupas de inverno e outros itens não comercializáveis ​​do lote", explica Arnaud Robert, do Institute for Artist Management (INSTITUTE). "Mas a camisetas piores, aquelas que mal são vendidas nas lojas de presentes baratos de Times Square, aquelas com os slogans mais idiotas, reaparecem, graças a um milagre de livre mercado, nas províncias remotas do Haiti, onde ninguém tomou o esforço de traduzir tal poesia em crioulo".

 

Robert se refere àquelas "t-shirts" que trazem frases do tipo: "Beije-me: eu sou loira" e "Não sou ginecologista, mas posso dar uma olhada", que seriam divertidas, caso o comércio "Pepe" não tivesse excluído milhares de alfaiates haitianos dos negócios têxteis. No fim, o que deveria ser um ato de caridade revela-se um desrespeito para com os haitianos carentes que, devido à pobreza extrema e sem saber o que dizem as camisetas, precisam vesti-las.

 

O interesse pelo tema fez os fotógrafos Paolo Woods e Ben Depp, que vivem no Haiti, realizarem o projeto "Pepe", no qual expõem algumas imagens, como a que ilustra esta matéria. A íntegra do trabalho pode ser conferida através do link: http://archive.instituteartistmanagement.com/offer/671.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço é para você, fiel leitor(a). Deixe o seu comentário acerca do texto que acabou de ler...